Coronel Robert Torrens: Valor, Mercados e Colonização na Economia Clássica

Resumo: O extenso apêndice bibliográfico de Lionel Robbins, listando as obras publicadas de Torrens, cobre 88 páginas, discriminando o conteúdo de seus livros, panfletos e artigos vindos à luz nos cinco decênios entre 1808 e 1858. O próprio Robbins atesta que sua compilação não é exaustiva, compreendendo os volumes disponíveis no British Museum, na Goldsmiths' Library e na London School of Economics Library (ROBBINS, 1958, p. 259-347). Já os Collected Works of Robert Torrens, editados por Giancarlo de Vivo e publicados no ano 2000, contém oito volumes, perfazendo 3710 páginas. Além desse material, a correspondência de Torrens encontra-se dispersa numa série de publicações e arquivos que, oportunamente, serão consultados pelo proponente e seus associados (MOORE, 2004, p. 58). Buscar-se-á igualmente avaliar em que medida o trabalho editorial de Torrens esteve relacionado aos temas objeto da presente proposta de pesquisa. Sua atividade parlamentar e pronunciamentos entre os Comuns, disponíveis no Historic Hansard, do Parlamento Britânico, serão igualmente investigados.
A metodologia a ser utilizada na pesquisa envolve uma combinação dos métodos que Mark Blaug e outros contrapuseram como reconstrução histórica versus racional, ou ainda, abordagem orgânica versus analítica (BLAUG, 2001; LOVEJOY, 1990, p. 45-60). A obra de Torrens cobre amplo arco de tempo e, portanto, diferentes contextos históricos atravessados pela economia britânica. Os primeiros escritos do militar iniciam na época das Guerras Napolêonicas, passam pela retomada da paz e o protecionismo das Corn Laws, chegando ao repúdio das mesmas, em 1844, quando o país ingressa de fato na época do livre comércio no plano internacional. Além disso, o século dezenove contempla o fortalecimento das grandes migrações de capital e mão-obra da Grã-Bretanha para o mundo todo, mas com maior regularidade para as colônias britânicas, assuntos nos quais Torrens esteve pessoalmente envolvido durante toda a sua vida. Desse modo, torna-se inviável abstrair-se, na presente pesquisa, as condições históricas subjacentes aos escritos do Coronel.
Por outro lado, a natureza eminentemente teórica, quantitativa e controversa de grande parte de sua obra requer tratamento analítico criterioso e detalhado de sua mensagem, conferindo destaque aos seus debates com os economistas contemporâneos. Ou seja, admite-se, a um só tempo, que o pensamento de Torrens continha tanto elementos específicos de sua época quanto componentes de teor universal ao conhecimento econômico. Na descrição de Robbins a respeito da contribuição econômica do Coronel: "A maior parte dos escritos de Torrens tinha natureza controversa: embora ele pendesse para a especulação abstrata, a maioria de suas proposições foram desenvolvidas no curso de debates relacionados à política econômica contemporânea" (ROBBINS, 1958, p. 146). Ainda, a esse propósito, como observa Lovejoy, a história das ideias pode ser entendida como uma via de mão dupla, compreendendo "a história do trânsito e da interação entre a natureza humana, em meio as exigências e vicissitudes da experiência física, de um lado, e de outro, as naturezas específicas e as pressões das ideias que os homens, emanadas das mais diversas fontes, entretiveram em suas mentes" (LOVEJOY, 1990, p. 21).

Data de início: 2016-03-01
Prazo (meses): 36

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Rogério Arthmar
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910