A evolução recente do sistema financeiro internacional e suas crises: uma interpretação institucionalista e keynesiana

Resumo: As duas últimas décadas do século XX presenciaram um crescimento substancial na integração entre as economias nacionais em decorrência de aumentos nos fluxos de comércio, nos investimentos diretos estrangeiros e nos fluxos financeiros de curto prazo em seus diversos matizes, bem como o processo de liberalização e desregulamentação financeira. A crescente facilidade no trânsito dos capitais financeiros internacionais tem provocado uma maior instabilidade na economia mundial se comparada ao sistema de Bretton Woods vigente no pós II Guerra. Observa-se, no período recente, a introdução acelerada de inovações financeiras em muitos países, acompanhada igualmente de uma intensificação na atividade de seus mercados de ativos. A associação de tais elementos promoveu um estágio inédito do processo histórico de internacionalização dos capitais, envolvendo não só a economia internacioanal mas também as relações sociais, culturais e políticas em todo o mundo. Em resposta a essas tendências vê-se uma explosão no volume de transações financeiras e cambiais, bem como uma maior volatilidade nos preços dos ativos associada a maior incidência de crises nos mercados de títulos e de câmbio. A expansão dos mercados financeiros nos anos 1990 tornou-os mais instáveis, provocando mudanças importantes nas instituições e nas decisões dos agentes. O problema econômico relevante da pesquisa é investigar as transformações institucionais e econômicas geradas pelo processo de globalização financeira que tornou-se acelerado e pervasivo nos anos 1990. Acredita-se que tal fenômeno - associado a diversos outros fatores que lhe são subjacentes - tem colocado em cheque a eficácia dos atuais mecanismos institucionais de intervenção existentes na economia mundial, trazendo uma diversidade de graves problemas ao funcionamento do sistema, sendo as crises financeiras recentes a mais evidente. O fenômeno das crises financeiras ocorridas nas últimas décadas são patentemente profundos e complexos. A literatura econômica oferece diversas alternativas teóricas de interpretação. Neste projeto, iremos discutir tal fenômeno a partir do referencial teórico fornecido pela abordagem keynesiana e institucionalista.

Data de início: 2010-04-05
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Alexandre Ottoni Teatini Salles
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910